Gema mole ou gema dura?

Neste post aqui contei para você que este ano tem trazido muitas mudanças. Várias realidades com as quais eu não convivia estão fazendo parte da minha rotina. Uma delas é a loja, e você já sabe. Outra delas é que, por causa da loja, eu estou convivendo mais com as crianças aqui de casa: Miguel, Ariel e Gabriel.
 
Trabalhar em casa te traz uma certa flexibilidade de horário, permitindo que coisas aconteçam na sua vida, como ir ao shopping na segunda-feira com sua irmã, porque ela trabalha em outra cidade e lá era feriado. Ou então, buscar as crianças na escola.
 
Bom, quem tem crianças sabe bem sobre a guerra na hora da comida. Particularmente o Gabriel tem um sério problema para comer. E, quase todo dia (ele tem melhorado, verdade seja dita), é preciso soltar aquela ladainha "você tem que comer por que faz bem", "seu corpo precisa de nutrientes", "não separe comida no prato", "você deve comer tudo o que lhe é servido", "você deve agradecer o que tem" e por aí vai.
 
Guarde estas informações.
 
Outra novidade na minha vida é que eu voltei a ser catequista. E dias desses, falávamos sobre como Jesus era porreta (com todo respeito, claro, e não com essas palavras para a crianças, claro de novo). Isso porque, Jesus era um homem que falava e fazia, ele ensinava que devíamos amar os pequenos e ele fez isso, se aproximou de quem era marginalizado.
 
Guarde esta informação também.
 
Eu tento na minha vida me tornar um ser humano melhor, em toda a complexidade que isso pode abranger. E, para mim, viver uma vida verdadeira é o caminho. Enfim, juntemos todas as partes desta história, antes  que você desista dela.
 
Na semana santa, euzinha aqui, decidi que não comeria carne. Um certo dia desta mesma semana, almoçando na casa do namorado, ele se prontificou a fritar um ovo para mim: "Gema mole ou gema dura?". Dura, sempre dura. Gema mole nunca. Ok. Acontece que, quando cheguei a mesa ele disse: "Olha, eu fritei dois ovos e só uma gema ficou dura, a outra não deu certo". Pausa para o pânico.
 
Eu não gosto de gema mole, não dá, não rola, não como. Ou não comia. Eu disse, sem graça, que tudo bem e comecei a comer pelo arroz e feijão. Pensei em explicar que realmente não gosto e que, apesar de estar agradecida com o cuidado, não comeria. Mas desisti. E dei uma garfada na D. Gema Mole que escorreu pelo meu arroz. Pensei de novo em desistir e lembrei de todas as informações do início deste texto.
 
Bem, eu comi tudo o que me foi oferecido, agradeci pelo o que tinha, sofri com a comida que não me agradava e fiquei pensativa naquela história "faça o que eu digo, não faça o que eu faço".
 
 
ps1.: meu namorado não sabia disso até então.
ps2.: não, eu não pretendo voltar a comer ovo com gema mole.
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger