{post-pílula} Gente

Em um momento #inveja de Oswald de Andrade*, inventei o post-pílula. Ele será composto por um pequeno texto e uma imagem. Aprecie…



Non siamo angeli in volo venuti dal cielo
Ma gente comune che ama davvero
Gente che vuole un mondo più vero
La gente che incontri per strada in città

Gente che vuole un mondo più vero
La gente che insieme lo cambierà

Tradução livre:
Não somos anjos voando do céu
Mas gente comum que ama de verdade
Gente que deseja um mundo mais verdadeiro
Gente que se encontra nas ruas da cidade

Gente que deseja um mundo mais verdadeiro
Gente que junta o mudará

* Por que eu falei isso? Não, eu não comi porcaria, bom depende do que você entende por porcaria, mas deixa pra lá. É que o Oswald (para os íntimos), grande poeta e idealizador/fomentador do Movimento Modernismo no Brasil, criou os poemas pílulas, que são textos curtos com enorme significado poético. Lembra da escola? Ó só um poema-pílula dele:

Vício na fala

Para dizerem milho dizem mio
Para melhor dizem mió
Para pior pió
Para telha dizem teia
Para telhado dizem teiado
E vão fazendo telhados



Música: Gente
Compositor: Angelo Valsiglio
Tradução livre: Por eu mesma!
Imagem: Os Operários, de Tarsila do Amaral (fonte
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger