Seres Analógicos

Este texto tem a intenção de falar da dificuldade de um ser analógico em meio a um mundo freneticamente digital. Vamos ver se ele consegue.


Descobri estes termos, analógico e digital, quando descobri o ateliê ...com Lola. Uma proposta muito bacana que vai muito além de vender bonecos.  A proposta é de uma vida mais analógica, mais calma, disposta a viver e não a correr com a vida. Seja analógico!
Sou lerda. Mas não de nascença. Quando foi para nascer tive pressa, queria dar a cara (ou o bumbum) à tapa logo. Mas o médico não deixou e me segurou lá, só nasci mesmo 12 horas antes do previsto. Gosto até de defender que é por isso que não chego na hora a lugar algum, em hipótese alguma, afinal quando eu quis, não me deixaram e seguraram lá. Então, serve de argumento.
Amigos de longa data já não chegam mais no horário, porque sabem que eu vou atrasar. Não é por mal, esforços não faltam. E não vem com essa de acordar mais cedo, porque não funciona também, já tentei.
Essa lentidão vem junto com a dificuldade de acompanhar o mundo e a rapidez com que ele gira – e com o gosto de tirar foto de plantas. Estou descobrindo que tem uma novidade quando nasce uma nova e a notícia é “IPhone 4 já está ultrapassado”. Mas já? Para que tanta agilidade? (Sabia que os celulares são feitos hoje em dia para durar míseros seis meses?).


Ser analógico em um mundo digital é parar para apreciar o passarinho, observar as nuvens no céu enquanto toma um sorvete, ainda tem 10 minutos para voltar para o almoço, não precisa começar a trabalhar agora.
Ser analógico em um mundo digital é sofrer porque se tem tantas ideias e vontades que o tempo não permite realizar, ao menos uma, já que 10 horas no trabalho consomem muito mais do que tempo, some com as energias.
Ser analógico em um mundo digital é penar para trabalhar as mesmas 10 horas e ainda cursar uma graduação no período noturno (ainda descubro quem inventou que trabalhar e estudar ao mesmo tempo dá certo!). É sofrível, não sobra nem o domingo à noite.
Ser analógico em um mundo digital é
Deitar na grama. Olhar o céu.
Apreciar um bom café.
Bolo quente, abraço apertado. Um pouco de silêncio.*

Ser analógico em um mundo digital é acompanhar com o olhar os passos agitados, rápidos e frenéticos de alguém que procura algo que não se sabe bem o que é. Há tanta preocupação em produzir que nos esquecemos de sentir.
Ser analógico em um mundo digital é encontrar a felicidade em um pote de bolachas, em uma noite de amor, em um passeio de bicicleta... É oferecer felicidade em um bilhete na geladeira, em uma tigela de brigadeiro, em um abraço apertado e inesperado...
Desejo a você – nós – dias mais analógicos com abraços apertados e inesperados, sorrisos sinceros, alegrias profundas, amores analógicos, amizades de verdade, decepções de brincadeirinha, tristezas passageiras, satisfações satisfeitas, borboletas no estômago e nas plantinhas, pessoas simpáticas e educadas, flores no caminho, calmaria e silêncio, paz, caridade... já falei abraço apertado?


* Trecho da descrição de SlowDesign do ateliê ... com Lola, dá pra conferir tudo aqui!


Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger