Dia dos Pais

Vi esse vídeo já faz um tempo, mas guardei-o no meu caderninho para hoje, Dia dos Pais.
Sei que tem toda aquela história de data comercial e blá, blá, blá... mas eu já falei sobre o que eu acho disso por aqui. E hoje eu vim falar de amor de pai.

Pai é diferente de mãe. Pai é super-herói, é amigo e vilão. Tem coisas que a gente só conta pra mãe, mas tem coisas que só o pai entende.
O meu pai não é pai, é paizinho. Um paizinho cheio de amor e dedicação, mas que na hora do jornal tinha que fazer silêncio, rs.
Ele me encorajou para a vida "Aah, para de ser mole Bia!". Me ensinou a jogar truco e deixava eu beber um pouquinho da espuma da cerveja.
Mesmo de longe, sempre ficou por perto. Mesmo deixando que a gente tomasse as decisões, orientou-nos com sabedoria "Ó, esse negócio aí não tá muito certo não".
Do seu jeito honesto, simples, humilde e sincero, é o melhor pai que Deus poderia me dar.
Obrigada, Deus. E obrigada, Paizinho!

Meu pai não é da tribo que gosta de tatuagens, muito, mas muito mesmo, pelo contrário. Mas gosto da emoção deste vídeo e acho que vocês também vão gostar.


A matéria original, você pode ler no site Hypeness.

Um domingo feliz!

ps.: como hoje eu perdi o sonho antes das seis da matina, ó God, o post não é de tarde da noite! =)

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger