30 dias

Sabe aquela expressão "fiquei sem chão"? Eu a experimentei 30 dias atrás. De repente, tudo que era certeza acabou, foi tomado de minhas mãos e só sobrou o incerto, a dor e o vazio. O vazio mais dolorido que eu já havia sentido na minha vida. Uma dor que não sei descrever. Era como se o mundo tivesse parado e a vida fosse acabar. Então, eu chorei. Chorei como uma criança que arranca o tampo do dedão no asfalto enquanto brincava de bola. Chorei porque a alegria da brincadeira foi-se, su-bi-ta-men-te, junto com o pedaço do meu dedo. Era um choro desesperado, um choro de alguém que só queria voltar a brincar. Não precisava nem cicatrizar, era só me deixar entrar para jogar de novo.

Surpreendentemente, trinta dias já se passaram. Foi uma surpresa para mim, porque a única certeza que eu tinha naquela tarde é que o mundo acabara e eu morreria naquele instante e toda aquela dor seria eterna. Um dia após o outro se passou. Eu continuei chorando como uma criança desesperada. A dor dolorida ainda doía, e dói. 

Foram tantas ideias e pensamentos e lembranças, tudo misturado pela saudade. Aliás, não choro mais pelo machucado do dedão, choro pela saudade que me atropela a cada instante do dia. Ontem sonhei com você, sonhei com a gente. Fiquei triste quando acordei. Queria que a vida fosse um sonho e que eu estivesse prestes a acordar. Incrível como convencer-se a si mesmo é muito mais difícil do que convencer a outro. Incrível como as coisas mudam sem que possamos fazer algo. Incrível como é difícil adaptar-se ao novo. 

Nós humanos somos seres altamente sociais. Somos os únicos animais a se organizarem socialmente dessa forma que fazemos. Ficamos dependentes uns dos outros, mesmo quando acreditamos que somos completamente independentes, de alguém ainda precisamos, nem que seja do padeiro pra fazer o pão ou do eletricista para ligar a luz. Acho que é por isso que a separação é tão difícil, seja ela pela morte ou pela vida. 

Nós humanos somos os únicos mamíferos que permanecem tomando leite mesmo depois da vida adulta. Percebe como somos eternos filhotes? Ficar sozinho só é bom quando se tem a quem voltar.

Hoje chove, amanheceu chovendo. Há trinta dias há uma tempestade na minha vida, não sei se ela passará ou se simplesmente me acostumarei com os dias nublados.




*****
O post de hoje inaugura uma nova "categoria" de posts aqui no blog: crônicas! A ideia é postar uma por semana, vejamos como vou me comportar. E você poderia me dar a sua opinião? O que você achou? Pode ser uma ideia de tema também!
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger